quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Aletsch

O Glaciar Aletsch, numa imagem mais alargada e depois mais ao pormenor.
Consultem o seguinte link da wikipédia para ficarem a conhecer um pouco mais sobre este enorme glaciar.

http://en.wikipedia.org/wiki/Aletsch_Glacier





quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Bettmeralp

Bettmeralp fica a 1957m. É uma zona de ski e onde não chegam automoveis. Para chegar lá, há que fazê-lo através de teleférico.
Daqui apanha-se outro teleférico para observar o belo e enorme glaciar Aletsch, que mostrarei mais tarde.



quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Padrão dos Descobrimentos - Fragmentos III

A norte do monumento uma rosa-dos-ventos de 50 metros de diâmetro, desenhada no chão, foi uma oferta da África do Sul em 1960. O mapa central, pontilhado de galeões e sereias, mostra as rotas dos descobridores nos séculos XV e XVI.

No interior do monumento existe um elevador que vai até ao sexto andar, e uma escada que vai até ao topo de onde se descortina um belo panorama de Belém e do rio Tejo. A cave é usada para exposições temporárias.

Uma das mais interessantes perspectivas do monumento pode ser observada a partir de oeste, à luz do pôr do sol.






quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Padrão dos Descobrimentoss - Fragmentos II

O monumento tem a forma de uma caravela estilizada, com o escudo de Portugal nos lados e a espada da Casa Real de Avis sobre a entrada. D. Henrique, o Navegador, ergue-se à proa, com uma caravela nas mãos. Em duas filas descendentes, de cada lado do monumento, estão as estátuas de heróis portugueses ligados aos Descobrimentos. Na face ocidental encontram-se o poeta Camões, com um exemplar de Os Lusíadas, o pintor Nuno Gonçalves com uma paleta, bem como famosos navegadores, cartógrafos e reis.






Eis a lista completa das 30 personalidades representadas no monumento:

terça-feira, 7 de outubro de 2008

Padrão dos Descobrimentos - Fragmentos I

O Monumento aos Descobrimentos, popularmente conhecido como Padrão dos Descobrimentos, localiza-se na freguesia de Belém, na cidade e Distrito de Lisboa, em Portugal.

Em posição destacada na margem direita do rio Tejo, o monumento foi erguido para homenagear os elementos envolvidos no processo dos Descobrimentos Marítimos Portugueses.


História

O monumento original foi encomendado pelo regime de António de Oliveira Salazar aos arquitectos Cottinelli Telmo (1897-1948) e Leopoldo de Almeida (1898-1975), para a Exposição do Mundo Português (1940), e desmontado em 1958.

O atual, uma réplica do anterior, foi erguido em betão com esculturas em pedra de lioz, erguendo-se a 52 metros de altura. Foi inaugurado em 1960, no contexto das comemorações dos quinhentos anos da morte do Infante D. Henrique, o Navegador.





Elevador de Santa Justa

O Elevador de Santa Justa é uma obra de arte concebida por um aprendiz de Gustave Eiffel e liga a Baixa ao Bairro Alto.


Abriu em 1902, altura em que funcionava a vapor, e em 1907 começou a trabalhar a energia eléctrica, sendo o único elevador vertical em Lisboa a prestar um serviço público. Feito inteiramente de ferro fundido e enriquecido com trabalhos em filigrana, o elevador dentro da torre sobe 45 metros e leva 45 pessoas em cada cabine (existem duas). Em design neogótico romântico, este elevador é definitivamente algo que você não pode perder!


O café no topo conta com vistas magníficas sobre o centro de Lisboa e o Rio Tejo.